UMA REFLEXÃO ENTRE O “CAVALEIRO DAS TREVAS” E O EXISTENCIALISMO

Luiz Roberto Prandi, André Ulysses de Salis, Shesmman Fernandes Barros de Melo, Rafaela Batista Santarosa

Resumo


Desde a antigüidade, os meios utilizados para se compreender arealidade decorrem da análise lógica dos fatos. Assim, a subjetividade do imaginário e, conseqüentemente, das imagens, foram sendo gradualmente banidas da intelectualidade ocidental. Contudo, a fixação de um pensamento, sem a representação das imagens, e uma rejeição dos valores e benefícios do imaginário, terminou por gerar uma resistência no próprio ocidente. O objetivo deste artigo consiste em demonstrar como o imaginário e a imagem, elementos de significativa relevância no discurso quadrinizado, podem refletir determinados aspectos de uma mentalidade filosófica, como o existencialismo,por meio das histórias em quadrinhos e, especificamente, da cronologia quadrinizada do personagem Batman, também conhecido como o “Cavaleiro das Trevas”. A base filosófica para o existencialismo é a de que o homem é construtor de si mesmo e do mundo. Com este entendimento, utilizou-se a fictícia trajetória de vida do Batman, um homem comum que, devido a uma grande tragédia, decidiu passar por anos de aprimoramento, transformando-se em um Super-Herói, para construir um paralelo entre a história do personagem e a abordagem desta filosofia.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akrópolis.v16i3.2467