ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE AS INFLUÊNCIAS DO ASSISTENCIALISMO NAS PRÁTICAS PSICOLÓGICAS REALIZADAS NOS CENTROS DE REFERÊNCIA DE ASSISTÊNCIA SOCIAL (CRAS)

Camila de Souza Silva, Isabela Rodrigues da Silva, Mariana Laís Brustolin, Maria Adelaide Pessini

Resumo


Este artigo refere-se a uma pesquisa bibliográfica, tendo como embasamento os princípios teóricos da Psicologia Comunitária, objetivando fazer reflexões sobre as consequências do assistencialismo nas práticas psicológicas realizadas nos Centros de Referência de Assistência Social – CRAS. Para tal, foi apresentada a história da assistência social brasileira até sua configuração atual, as características dos CRAS e os pressupostos de trabalho dos psicólogos nestes locais, assim como os desafios encontrados nestas práxis, relacionando-os com a graduação em Psicologia e os efeitos que a história assistencialista possui nos dias atuais. A pesquisa revelou que o assistencialismo possui implicação nas práticas psicológicas exercidas nos CRAS, tais como a não consciência dos usuários de que são cidadãos possuidores de direitos, o modo como a vulnerabilidade social é compreendida, fatos que são reforçados pela formação em Psicologia restrita ao modelo clínico de atuação. Percebeu-se, portanto, que a inserção da Psicologia na assistência social é algo que necessita de constante reflexão.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akrópolis.v19i1.3474