A EXCLUSÃO DA INCLUSÃO: ALGUMAS PERSPECTIVAS PARA PENSAR A DEFICIÊNCIA NO MERCADO DE TRABALHO

Luiz Roberto Prandi, Wendell Fiori de Faria, Ademárcia Lopes de Oliveira Costa, Francisco Carlos Ruiz

Resumo


O presente texto é uma discussão de caráter teórico, cuja proposta é fazer uma reflexão sobre o processo de inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho. A deficiência, independente de sua especificidade, desde os tempos mais remotos se faz presente nas diversas sociedades e em qualquer classe social. O discurso de igualdade é um dos pilares da sociedade capitalista e em sua relação com a educação, contribuindo para a manutenção das desigualdades sociais e, especificamente, para a exclusão das pessoas com deficiência. Pela lógica capitalista não faz sentido investir na formação de um profissional que não vai atuar na produção da mais-valia, ou repor tal investimento. Deste modo, o respaldo garantido às pessoas com deficiência pela Constituição Federal Brasileira (1988) para o acesso ao trabalho e à educação, bem como a reserva de vagas na administração pública ou nas empresas privadas, asseguradas pela lei 8213/91, não são resultados de um Estado “bonzinho”, ou de uma proteção paternalista, mas sim, consequência de uma minoria que conseguiu se impor politicamente e que se fez ouvir ao bradar por direitos trabalhistas antes abafados em promessas assistencialistas e oportunistas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v13i1.4363