A DIGNDADE DA PESSOA HUMANA NO SISTEMA CRIMINAL VERSUS O DIREITO DE INFORMAÇÃO PELA MÍDIA E A LIBERDADE DE EXPRESSÃO COMO DIREITOS DE PERSONALIDADE

Amanda Budi Fernandes, Ana Luísa de Oliveira Botelho, Cacilda Zafaneli, Janaina Pamela Silva Mendes, Luiza Gabriella Berti, Nádia Alessandra da Silva, Raquel Soares Duarte, Fernanda Garcia Velasquez

Resumo


O presente trabalho propôs uma discussão sobre o poder que a mídia tem diante os indivíduos, a qual pode influenciar em sua subjetividade. Propusemos esclarecer de que forma a mídia atuou e tem atuado na vida das pessoas, colocando um lugar de destaque, infiltrando-se e manipulando quase de forma invisível, mas permanentemente influenciando nas relações. Cabe aos profissionais contribuir para o processo do repensar as relações naturalizadas pela mídia que impõe padrões de vida a serem seguidos, de forma a contribuir para a produção de cidadania vivida de forma livre. O debate desse trabalho é de como essa mídia atua para de certa forma adentrar no Poder Judiciário, incitando a “justiça do povo com as próprias mãos”, querendo que a sociedade em geral, julgue, sem ser juiz e não usando diversas vezes da ética, tão falada ultimamente e pouco usada nos meios de comunicação, fazendo com que a sociedade e os seres humanos entrem em declínio mesmo sem querer.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/rcjs.v21i1.2018.7447