Irrigação Da Bolsa Cloacal Em Aves (Gallus Gallus Linnaeus, 1758) Da Linhagem

Frederico Ozanam Carneiro Silva, Renato Souto Severino, Sérgio Salazar Drummond, Pedro Primo Bombonato, Marcelo Ismar Silva Santana, Eduardo Maurício Mendes de Lima

Resumo


Estudaram-se em 30 exemplares de matrizes de corte, fêmeas, da linhagem NPK (Gallus gallus Linnaeus, 1758), com oito a dez semanas de idade, procedentes de granjas da região do Triângulo Mineiro, Estado de Minas Gerais, a origem, o número e a ordenação dos vasos arteriais destinados à bolsa cloacal, um dos órgãos responsáveis pela elaboração de respostas humorais nas aves. Com a finalidade de marcar seu sistema arterial, promoveu-se a canulação da artéria isquiática direita e o seu preenchimento com solução aquosa de Neoprene Látex “450” (50%), corada com pigmento específico. A seguir, as peças foram injetadas com solução aquosa de formol (10%), mediante aplicação intramuscular profunda, subcutânea e intracavitária, sendo posteriormente mantidas submersas na mesma solução em recipientes adequados, por período mínimo de 48 horas. Através da dissecação, evidenciou-se, em 26 casos (86,66% + 6,2), a artéria bursocloacal direita; já a artéria bursocloacal esquerda, esteve presente em todos os 30 casos (100% + 0,0). Notou-se ainda que a bolsa cloacal foi irrigada por uma ou duas artérias bursocloacais; a artéria cloacal direita ocorreu através de um ramo direto em 10 dos casos (33,33% + 8,7); porém em 18 casos (60% + 9,0), por um ramo direto da artéria cloacal esquerda. O número de vasos, independentemente da sua origem, variou de dois a quatro. A distribuição dos vasos fez-se de maneira própria para cada exemplar.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v5i1.2001.1101