Catálogo polínico do Parque Estadual de Vila Velha, Paraná - 4ª. parte

Inês Janete Mattozo Takeda, Melissa Koch Fernandes de Souza, Paulo Vitor Farango, Vanessa Vieira Gelinski

Resumo


A palinologia têm aplicações na Taxonomia de plantas atuais, Melissopalionologia, Farmacognosia, no auxílio na reconstituição de floras do Quaternário, no diagnóstico de alergias, etc. Muitas vezes, o único elemento de identificação é o grão de pólen, obtido de uma planta previamente determinada e referendada em um herbário. As sete espécies, em sete famílias, foram obtidas nos acervos dos herbários UEPG e UPCB. Os grãos foram submetidos à Acetólise. Para a montagem das lâminas foi usada gelatina-glicerinada de Kisser, seguindo-se a lutagem com parafina. A caracterização foi realizada através de vários critérios, como: forma, tamanho e ornamentação da exina. As espécies analisadas foram: Oenothera longiflora L.: Onagraceae, Crumenaria polygaloides Reiss.: Rhamnaceae, Esenbeckia grandiflora Mart.: Rutaceae, Solanum variabile Mart.: Solanaceae, Byttneria hatschbachii Crist.: Sterculiaceae, Gordonia fruticosa (Schrad.) H. Keng.: Theaceae, Vitex megapotamica (Spreng) Mold.: Verbenaceae. A família Verbenaceae é inconfundivelmente euripalinológica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v6i3.2002.1183