ANÁLISE QUANTITATIVA DOS NEURÔNIOS MIOENTÉRICOS DA CURVATURA GÁSTRICA MENOR DO ESTÔMAGO GLANDULAR DE RATOS INDUZIDOS À CARÊNCIA PROTEICA

Marcelo Sardeto Alves, Fernanda Karoline de Souza Gomes, Débora de Mello Gonçalves Sant’Ana, Eduardo Jose de Almeida Araújo, Sonia Aparecida de Mello, Fabio José Bianchi, Larissa Renata de Oliveira Bianchi

Resumo


A deficiência nutricional pode causar nas células a perda de sua capacidade de absorção, de gerar energia, bem como de mediar o transporte de pequenas moléculas e de sintetizar macromoléculas. Objetivou-se quantificar os neurônios mioentéricos da curvatura gástrica menor do estômago glandular de ratos controle e de ratos submetidos a carência protéica. Foram utilizados 10 ratos machos, com 90 dias de idade, divididos em grupos controle (GC) e experimental (GE). O GC recebeu, durante 120 dias, ração com 22% de proteina e água, enquanto GE recebeu ração com teor proteico de 4% e água. Após os experimentos os animais foram submetidos à eutanásia, laparotomia vertical e retirada do estômago. Realizou-se a microdissecação sob estereomicroscópico dos segmentos, com a retirada da túnica mucosa e da tela submucosa. Foi utilizada a técnica de coloração de Giemsa para evidenciar os neurônios mientéricos. Os neurônios foram contados com auxílio de um microscópio de luz com aumento de 400 x, com 40 campos de cada animal. Os cálculos estatísticos foram realizados por meio do teste “t” de Student, na forma média ± erro padrão da média, com nível de significância de 5%. No grupo controle foram encontrados 23,51±2,7 neurônios e no grupo experimental 21,38±1,7. Verificou-se que as diferenças não são estatisticamente significantes. Podemos verificar que a dieta imposta ocasionou um quadro de desnutrição que não provocou alterações quantitativas nos neurônios mioentéricos da curvatura gástrica menor do estômago glandular.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v13i2.2009.3017