COMPROMETIMENTO PULMONAR E FUNCIONAL DOS PACIENTES PORTADORES DE DPOC ENCAMINHADOS AO AMBULATÓRIO DE FISIOTERAPIA CARDIO PULMONAR DA UNIVERSIDADE PARANAENSE

Elaine Paulin, Glaukus Regiani Bueno, Thais Cristina Tomio

Resumo


O objetivo deste estudo foi identificar o grau de comprometimento pulmonar e funcional dos pacientes portadores de doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), encaminhados ao Ambulatório de Fisioterapia Cardio Pulmonar da Universidade Paranaense (UNIPAR). Foram avaliados 24 indivíduos sendo, 12 portadores de DPOC grau (leve, moderado e grave) e 12 indivíduos saudáveis. Todos os participantes foram submetidos à avaliação antropométrica, ao teste de função pulmonar, ao teste da capacidade de exercício, avaliação da dispneia e da mobilidade torácica e foram previamente esclarecidos sobre o objetivo e delineamento do estudo. Em relação às características antropométricas foi verificado que o índice de massa corpórea foi igual entre os grupos estudados, mesmo apresentando diferença em relação à idade. A função pulmonar dos grupos estudados foi estatisticamente diferente em relação ao grupo saudável. Os pacientes portadores de DPOC apresentaram um déficit de 53,09% em relação à CVF; 58,05% em relação ao VEF1; 58,19% em relação à VVM quando comparado ao grupo saudável. O grupo DPOC apresentou um déficit de 18,67% na capacidade de exercício submáxima avaliada pelo teste da DP6min. Em relação ao grau de dispneia, que foi mensurado por intermedio da escala de Borg, verificou-se que o grupo DOPC apresentou mais comprometimento desse parâmetro, tanto no repouso quanto após o exercício em relação a grupo de indivíduos saudáveis. Os pacientes portadores de DPOC atendidos no Ambulatório de Fisioterapia Cardio Pulmonar da UNIPAR apresentam déficits médio de 50% na condição pulmonar, 18% na capacidade de exercício e um comprometimento importante da dispneia após um esforço submáximo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v13i3.2009.3197