ATUAÇÃO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE NO PROGRAMA DE CONTROLE DA HANSENÍASE EM UM MUNICÍPIO DO NOROESTE DO PARANÁ

Pricila Silva da Cruz, Juliano Yasuo Oda

Resumo


A hanseníase, causada pelo Mycobacterium leprae, manifesta-se por meio de lesões na pele e acometimento dos nervos periféricos, resultando em incapacidade física que pode até mesmo evoluir para deformidades. A hanseníase é considerada um problema de saúde pública, tornando-se uma das prioridades do Ministério da Saúde, que no ano de 2000 desenvolveu o Programa de Controle da Hanseníase (PCH), objetivando aperfeiçoar as medidas voltadas à integração e à efetividade das ações de controle da doença na rede básica de saúde. Entre as medidas preconizadas pelo Ministério da Saúde, destaca-se a educação em saúde, assumindo importante papel, para o diagnóstico precoce, prevenindo a instalação de incapacidades físicas, por meio das informações ao paciente sobre sua doença, tratamento e autocuidado. Além de reduzir o estigma e preconceito ocasionado pela doença, o presente estudo teve como objetivo destacar o papel da enfermagem no Programa de Controle da Hanseníase (PCH) de um município da região oeste do Paraná, por intermédio de práticas de educação em saúde com os agentes comunitários de saúde (ACS). Por meio desta pesquisa verificou-se que a enfermagem atua de forma satisfatória nas ações de planejamento e execução do cuidado, segundo suas atribuições profissionais propostas pelo Programa de Controle da Hanseníase (PCH).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v13i3.2009.3202