AVALIAÇÃO DA PRESENÇA DE LEPTINA NO FLUIDO PERI-IMPLANTAR DE PACIENTES DIABÉTICOS TIPO 2

Eduardo Augusto Pfau, Andresa Borges Soares, Marcelo Henrique Napimoga

Resumo


A leptina é um hormônio produzido principalmente pelo tecido adiposo capaz de regular a energia necessária para manter a homeostasia dos tecidos, tendo efeito regulatório sobre o sistema reprodutivo, neuroendócrino, imune e sobre o metabolismo ósseo. Sistemicamente, a leptina atua como um importante modulador da resposta do hospedeiro frente a estímulos infecciosos e inflamatórios, desencadeando no sistema imune, o aumento da produção de citocinas pró-inflamatórias e a ativação de macrófagos. Essas citocinas pró-inflamatórias como, por exemplo, IL-6 e TNF, quando encontradas no plasma em elevadas concentração têm sido consideradas fatores de risco para problemas cardiovasculares, obesidade e diabetes. Apesar de alguns trabalhos investigarem o papel da leptina na progressão da doença periodontal, o papel dessa adipocina não foi investigado no fluido peri-implantar. Dessa forma, o objetivo desse estudo foi de avaliar e comparar os níveis de leptina no fluido peri-implantar de pacientes sadios (n=10), pacientes diabéticos tipo 2 controlados (n=10) e pacientes diabéticos tipo 2 não controlados (n=10). As amostras foram coletadas do interior do sulco peri-implantar clinicamente sadio dos participantes, com o auxílio de cones de papel estéreis, e em seguida analisadas pelo método do ELISA. Os resultados da concentração de leptina não foram diferentes estatisticamente entre os grupos de participantes segundo os testes ANOVA one-way, seguido do teste de Tukey (p>0,05). Em conclusão, pode-se sugerir que a variação de taxa glicêmica encontrada entre os grupos (pacientes diabéticos e sadios) parece não interferir na condição de osseointegração e na taxa de leptina ao redor de implantes dentais sadios.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v17i2.2013.5006