EFETIVIDADE DA RADIOFREQUÊNCIA NO TRATAMENTO FACIAL DE VOLUNTÁRIAS TABAGISTAS E NÃO TABAGISTAS

Juliana Pelissari Marchi, Klédya Gertrudes Pieri Rocha, Paula Vanessa Alves Severo, Maria Cecília Ribeiro Bruning, Evellyn Claudia Wietzikoski Lovato

Resumo


O envelhecimento cutâneo ocorre por dois processos principais e distintos de envelhecimento, sendo o envelhecimento intrínseco que se refere ao envelhecimento cronológico e o envelhecimento extrínseco que é induzido por fatores externos. O tabaco é considerado um agente externo que altera a composição e função da pele ocasionando ou acelerando o processo de envelhecimento extrínseco. A indústria da estética vem desenvolvendo diversos recursos que promovem a prevenção e recuperação do quadro de envelhecimento, dentre estes recursos destaca-se a radiofrequência um recurso eletroterápico que ganha destaque na melhoria do contorno facial, aumento do tônus e minimização de rugas sem a necessidade de intervenção cirúrgica. Assim, esta pesquisa teve por objetivo avaliar os efeitos do tratamento facial com radiofrequência em pele de voluntárias tabagistas e não-tabagistas. Para isto, foram realizadas 10 sessões com radiofrequência em 08 voluntárias do sexo feminino, sendo 04 tabagistas e 04 não-tabagistas, com idade entre 47 e 53 anos. Os parâmetros do equipamento utilizado foi amplitude de 80% em um tempo de 25 minutos e temperatura de 40 ºC. Após o término das sessões verificou-se como resultados a redução da extensão de rugas do canto externo do olho em face direita, e redução da flacidez de canto externo da boca em face esquerda. Além de minimização da profundidade das rugas, clareamento cutâneo, favorecimento do aporte de nutrientes e oxigênio através da vasodilatação, melhorando o quadro de nutrição e hidratação tecidual, suavizando processos descamativos e melhorando como um todo o aspecto cutâneo.

Palavras – chave: envelhecimento, rugas, flacidez, tabagismo, radiofrequência.


Texto completo:

PDF