CARACTERIZAÇÃO DAS PLANTAS MEDICINAIS E MEDICAMENTOS FITOTERÁPICOS PARA TRATAMENTO DA OSTEOPOROSE UTILIZADOS NO BRASIL

Marcia Alessandra Arantes Marques, Daniely Alves Lima, Carlos Eduardo Andreotti, Arquimedes Gasparotto Junior, Emerson Luiz Botelho Lourenço

Resumo


A osteoporose é caracterizada por desordem do sistema esquelético caracterizada por baixa massa óssea e deteriorização da microarquitetura do tecido ósseo levando a fragilidade óssea com aumento da suscetibilidade a fraturas. Considerada a doença osteometabólica mais comum, de distribuição global, pode comprometer ambos os sexos, diferentes idades ou raças. As consequências relacionadas a essas doenças são as fraturas vertebrais verificadas em aproximadamente 20% das mulheres acima de 65 anos em pós-menopausa. Além disso, a consequência dessa fragilidade óssea pode levar a consequências graves como dor, deformidades, sequelas, restrições motoras e morte precoce, portanto, associada com alta morbi/mortalidade. Desta forma, sabendo que as medicações utilizadas para o tratamento da osteoporose não são isentas de risco (por exemplo, aumento do risco de tromboses, câncer de mama/ ovário/ endométrio, lesões musculares, entre outras), foi realizado uma revisão bibliográfica com o intuito de avaliar se existem plantas medicinais que possam ter efeitos ósseo protetores com menor número de efeitos adversos em relação aos fármacos sintéticos. Em síntese, verificou-se que os fármacos sintéticos podem acarretar prejuízos à saúde do paciente a longo prazo e que as plantas medicinais ou fitoterápicos utilizadas no Brasil apresentam estudos científicos com menores efeitos colaterais e, portanto, são uma alternativa viável para o tratamento e prevenção da osteoporose, visto que a Politica Nacional de Práticas Integrativas e Complementares na Atenção Básica sustenta esta tendência mediante subsídios como a Farmacopeia Brasileira e o Memento Fitoterápico.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i3.2016.5870