A CONDUTA DIETOTERÁPICA NO TRATAMENTO DA DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO – RELATO DE CASO

Tatiane dos Santos Aparecido-Gonçalves, Patricia Franco Gonçalves Previato do Amaral, Andreia Assunção Soares, Maressa de Lima Rodrigues, Laura Maria Soares Betineli, Ricardo de Melo Germano

Resumo


A doença do refluxo gastroesofágico é causada pela redução da pressão do esfíncter esofágico inferior e pode ser agravado por fracionamento inadequado da dieta e pela produção de espécies reativas ao oxigênio. Os tratamentos medicamentosos e cirúrgicos se destacam, contudo, existem opções de terapêutica não farmacológica, como as vitaminas e minerais com funções antioxidantes, atuam como adjuvantes neste tipo de tratamento. Portanto, este trabalho teve como objetivo avaliar as funções das vitaminas e minerais suplementados junto à dieta fracionada, prescritas a uma paciente de cirurgia de hérnia de hiato, e a diminuição do quadro de esofagite. A paciente chegou com quadro de esofagite de refluxo, disfagia, dores na região gástrica e distensão abdominal. Como conduta foi adotada a suplementação com piridoxina 30mg, zinco quelato 20 mg e ácido pantotênico 20 mg e vitamina C revestida  200 mg, assim como aumento do fracionamento da dieta refletindo na redução do volume das refeições para amenizar desconfortos gástricos. O fracionamento adequado da dieta, a redução do volume das refeições e a suplementação atuam de maneira eficaz na melhoria do quadro da DRGE. Cabe destacar que é papel do nutricionista garantir a adesão do paciente ao tratamento para não haver recidivas de sintomas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i3.2016.5902