Influência do Alongamento nas Lesões por Esforços Repetitivos em Digitadores

Márcia Satiko Aramaki, Sônia Maria Marques Gomes Bertolini

Resumo


O uso repetitivo das estruturas corporais como tendões, bainhas, músculos, fáscias, ligamentos e nervos, principalmente dos membros superiores, podem causar lesões atualmente conhecidas como lesões por esforços repetitivos (LER). A necessidade do desenvolvimento desta pesquisa partiu da constatação de que com o advento de novas tecnologias houve um crescente aumento do número de trabalhadores afetados por lesões relacionadas com as atividades ocupacionais. Considerando o uso repetitivo e, muitas vezes, de forma incorreta das estruturas corporais dos digitadores, bem como, a ausência de exercícios físicos regulares, o presente estudo procura verificar a influência do alongamento nas lesões por esforços repetitivos em digitadores. Para esta pesquisa, contamos com a participação de 36 digitadores da agência bancária da Caixa Econômica Federal de Maringá, de ambos os sexos, na faixa etária de 20 a 40 anos. Destes, observou-se que 18 eram portadores de LER (50%). A seguir, a amostra foi subdividida em dois grupos de 9 indivíduos. Os indivíduos do grupo controle continuaram suas atividades normais sem realizar qualquer tipo de atividade física, e os indivíduos do grupo experimental realizaram exercícios de alongamento muscular, 15 minutos antes e 15 minutos após suas atividades profissionais, num período de 6 meses. Observou-se após a realização dos exercícios de alongamento, redução do quadro clínico da LER em 100% dos casos do grupo experimental. Seis indivíduos referiram alívio completo dos sintomas e três relataram moderada diminuição da dor. Com relação ao grupo controle não se observou melhora nos sinais e sintomas clínicos em nenhum dos casos, ocorrendo agravamento do quadro em seis indivíduos que foi confirmado com o fornecimento de atestados médicos. Estes resultados indicam que o alongamento pode influenciar não só na prevenção como também na recuperação dos indivíduos portadores de LER.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v2i2.1998.899