AEROFAGIA EM EQUINOS: REVISÃO DE LITERATURA

Denis Steiner, Luiz Romulo Alberton, Wiliam Del Conte Martins

Resumo


São observados em diversos cavalos, alojados em baias, tendência a executarem uma variedade de atividades aparentemente sem função e comportamentos repetitivos, denominados estereotipias. Destes, a aerofagia é um vício geralmente adquirido, relativamente comum em equinos, sem distinção de raça e sexo, no qual o animal, apoiando os dentes incisivos em um objeto fixo, realiza um movimento de arqueamento e flexão do pescoço, conseguindo engolir certa quantidade de ar. Na aerofagia com o tempo ocorre desgaste excessivo dos dentes incisivos, perda de peso, hipertrofia dos músculos ventrais do pescoço, especialmente do músculo esternocefálico, cólicas por ulceração gástrica, encarceiramento do forame epiplóico e meteorismos ocasionais além da desvalorização do animal. Projetar adequadamente as baias optando por evitar superfícies de apoio, uso de eletrochoque, utilização de colar eletrônico para adestramento de cães, uso de colar de pescoço para evitar o movimento de deglutição, colocar o animal em companhia de outros em piquetes, aumentar o número de exercícios e fornecer maior quantidade de feno ou gramíneas verdes, são métodos que ajudam na prevenção dos episódios. Diante do insucesso de técnicas conservativas, três procedimentos cirúrgicos são descritos para o controle da aerofagia. São descritas também diversas modalidades terapêuticas, que podem reduzir a incidência dos episódios, embora melhores resultados resultem de cuidados profiláticos, antes dos vícios se estabelecerem.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v16i2.2013.4512