SORO DO LEITE EM SUBSTITUIÇÃO AO LEITE NA CRIA DE BEZERROS

Julio Viégas, Fernando Reimann Skonieski, Alexandre Weber, Adalgiza Pinto-Neto, Ronaldo Lopes Oliveira, Cláudio Vaz Di Mambro Ribeiro, Rogério Fôlha Bermudes, Maria de Fátima Leal Nörnberg

Resumo


O uso de leite na alimentação de bezerras representa o maior custo na fase de cria. Com o objetivo de avaliar a viabilidade técnica da utilização de diferentes quantidades de dieta líquida na alimentação de bezerros da Raça Holandês, utilizou-se 160 ou 240 litros de dieta líquida, durante um período de 53 dias (do quarto ao 56o dia de vida) de aleitamento com diferentes níveis de inclusão de soro de leite em substituição ao leite integral (0, 10 e 20%), em esquema fatorial 2x3 (160 ou 240 litros de dieta líquida e 0, 10 ou 20% de inclusão de soro do leite), conduzido no Laboratório de Bovinocultura Leiteira da Universidade Federal de Santa Maria. Os animais foram distribuídos inteiramente ao acaso em seis tratamentos, com quatro repetições por tratamento. Foram avaliados o consumo de matéria seca do concentrado (CMSC), da matéria seca total (CMST), ganho médio diário (GMD), conversão alimentar (CA), peso vivo final (PVF) e o comportamento dos animais. Para os níveis de soro do leite, ocorreu uma resposta quadrática (p<0,05) para o CMSC, CMST, GMD e CA. Os bezerros que receberam 160 litros de leite apresentaram maior (p<0,05) CMSC, porém pior CA. O CMST, o GMD e o PVF foram superiores (p<0,05) para os bezerros que consumiram 240 litros de leite durante o período experimental, com melhor CA para esse grupo de animais. Na análise do comportamento não foi determinada diferença significativa para os parâmetros avaliados (p>0,05).


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v20i1.2017.6313