HAMARTOMA FIBROANEXIAL EM CADELA - RELATO DE CASO

Fábio Ranyeri Nunes Rodrigues, Carlos Eduardo Bastos Lopes, Magna Gomes de Matos, Samantha Pinheiro Pimentel, Erika Carvalho de Alencar, Talles Monte de Almeida, Daniel de Araujo Viana

Resumo


A pele é o maior órgão do corpo do animal, atuando como uma barreira entre o meio externo e interno e suas afeccções perfazem a média de 30% de todo atendimento clínico realizado em pequenos animais. Dentre as lesões não neoplásicas, encontram-se os hamartomas, que são oriundos de um crescimento excessivo de células e tecidos normais no local em que naturalmente se encontram, podendo ocorrer em qualquer tecido ou órgão. O hamartoma fibroanexial pode se apresentar como nódulo solitário, firme, circunscrito, séssil ou de aspecto polipoide, com ou sem alopecia parcial e ulceração. Os anexos cutâneos que se destacam nesse tipo de hamartoma são os folículos pilosos e as glândulas sebáceas, podendo aparecer em aspectos normais ou bizarros, como os folículos pilosos císticos rodeados por lóbulos sebáceos. O objetivo do presente trabalho foirelatar um caso de hamartoma fibroanexial em uma cadela sem padrão racial definido, de aproximadamente sete anos que foi levada à Unidade Hospitalar Veterinária da Universidade Estadual do Ceará (UECE), devido à presença de nódulo em região distal lateral do membro pélvico direito com crescimento lento e progressivo durante um ano. A paciente foi encaminhada para exames complementares de citologia e pré-cirúrgicos. Após excisão cirúrgica, o nódulo foi enviado para avaliação histopatológica. Microscopicamente, a lesão exibiu uma estrutura nodular intradérmica composta por tecido fibroso abundante, envolvendo e segmentando estruturas anexiais incompletas, representadas por glândulas sebáceas e folículos pilosos, alguns destes rôtos, suscitando intenso processo inflamatório piogranulomatoso. Os achados macro e microscópicos foram determinantes para o diagnóstico da lesão como hamartoma fibroanexial.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v21i1.2018.6390