UTILIZAÇÃO DE ÓLEO ESSENCIAL DE DUAS VARIEDADES DE LARANJA NA ECLOSÃO DE Meloidogyne javanica

David Maram dos Santos, Adão Izidoro Junior, Sephora Serrano Baldisera, Ana Daniela Lopes, Juliana Silveira do Valle, Simone de Melo Santana Gomes

Resumo


O Brasil é o maior produtor de laranja do mundo. Cultura rica em óleos essenciais de ampla aplicação, como no controle de pragas e patógenos, dentre eles os fitonematoides, causadores de prejuízos relevantes à agricultura. Assim, o objetivo do trabalho foi avaliar a porcentagem de eclosão de juvenis de M. javanica submetidos à diferentes concentrações de óleos essenciais de duas variedades de laranja, Pêra Rio e Folha Murcha, em condições in vitro. Os óleos essenciais foram extraídos das variedades de laranja (Citrus sinensis) Pêra Rio e Folha Murcha, pela técnica de hidrodestilação. O experimento foi instalado em arranjo fatorial 2X8, DIC, sendo oito concentrações (0, 25, 50, 100, 200, 300, 400 e 500 µg mL-1) e dois tipos de OE, avaliados em três períodos (4 e 16 dias). Em cada unidade experimental, tubos de ensaio 10x75 mm, adicionou-se 1 mL de suspensão de nematoides contendo 50 ovos e 1 mL de emulsão para cada concentração, avaliando-se a porcentagem de juvenis eclodidos. As concentrações dos óleos essenciais das variedades influenciaram (p≤0,05) na porcentagem de eclosão de juvenis de M. javanica, em todos os períodos avaliados. Para a maioria das concentrações, aos quatro e 16 dias, o óleo essencial da var. Pêra Rio foi mais eficiente na redução da eclosão, quando comparado a var. Folha Murcha.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v20i3.2017.6693