INDICADORES DE QUALIDADE DO SOLO CULTIVADO COM CAFÉ, PASTAGEM E INTEGRAÇÃO PASTAGEM E EUCALIPTO

Rodrigo Horst, Pedro Hugo de Angelo Matheos, Rayane Monique Sete da Cruz, Carlos Henrique de Souza Gonçalves, Luiz Renato Marques das Almas, Luzia Doretto Paccola-Meirelles, Odair Alberton

Resumo


A demanda crescente da utilização dos solos exige soluções que permitam incentivar o desenvolvimento socioeconômico sem comprometer a sustentabilidade dos recursos naturais. Desse modo, o objetivo deste estudo foi avaliar os efeitos de diferentes culturas como café, pastagem e manejo integrado de pastagem e eucalipto na qualidade química e microbiológica do solo. Foram analisados da parte química o pH do solo, nitrogênio, carbono orgânico total e fósforo do solo e da parte microbiológica foram analisados a densidade de esporos de fungos micorrizicos arbusculares (FMAs), carbono da biomassa microbiana (CBM), respiração basal do solo e coeficiente metabólico do solo qCO2. O pH do solo variou de 5,38 no manejo de pasto e eucalipto para 4,70 nas áreas cultivadas com pasto. A densidades de esporos de FMAs e o CBM na área de integração de pasto e eucalipto foram aumentados em relação à área cultivada com café, e o qCO2 foi aumentado com o cultivo do café, indicando que o cultivo de café eleva a condição de estresse do solo nas condições avaliadas. Concluindo, portanto, que as diferentes formas de uso e manejo das três áreas estudadas apontaram variações do comportamento de suas propriedades químicas e microbiológicas, entretanto, o manejo que se destacou foi a de eucalipto com a integração de pastagens, sendo mais sustentável.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v20i4.2017.6762