UTILIZAÇÃO DE ENZIMAS EXÓGENAS NA NUTRIÇÃO DE PEIXES - REVISÃO DE LITERATURA

Veruska Dilyanne Silva Gomes, José Humberto Vilar da Silva, Cácio Ribeiro Cavalcanti, Sthelio Braga da Fonseca, José Jordão Filho, Manuel Rosa da Silva Neto, Felipe Bonifácio da Silva

Resumo


As enzimas exógenas são adicionadas nas rações para não ruminantes com o objetivo de remover ou diminuir fatores antinutricionais dos alimentos, aumentar a digestibilidade das rações, reduzir a viscosidade dos alimentos, auxiliar na atividade das enzimas endógenas e atuar em substratos que não são degradados pelas enzimas produzidas pelos peixes. Dessa forma, a presente revisão visa a apresentar as enzimas digestivas em peixes, os bioprocessos para produção de enzimas, alguns resultados obtidos com a adição de enzimas exógenas e a influência do uso de enzimas sobre a qualidade da água de cultivo. Diversos tipos de fungos, bactérias e leveduras podem produzir enzimas, por meio de técnicas de recombinação de DNA e mutações. Os peixes possuem estreita relação com o meio no qual estão inseridos, por isso, alterações nos parâmetros físico-químicos da água podem influenciar o crescimento, peso, saúde e reprodução destes. Dessa forma, o uso de enzimas exógenas na alimentação animal pode contribuir para a diminuição do impacto ambiental causado pela produção animal, pois, atuam aumentando a digestibilidade das rações e de nutrientes poluentes como fósforo e nitrogênio quando as enzimas específicas para estes substratos são adicionadas às rações, como a fitase e protease. O uso da biotecnologia, por meio da utilização de enzimas exógenas ou complexos enzimáticos na nutrição de peixes, melhora o desempenho zootécnico, aumenta a digestibilidade das rações e contribui na redução da excreção de nutrientes no ambiente aquático, interferindo de forma positiva na qualidade da água no sistema de produção.

Texto completo:

PDF