EDUCAÇÃO E INFÂNCIA: HISTÓRIAS SOCIALMENTE CONSTRUÍDAS

Keli Andréa Vargas Paterno, Verônica Regina Müller

Resumo


O presente estudo aborda dois aspectos interdependentes: a infância e a educação. Historicamente, ambas foram construídas com objetivos específicos, porém sempre estiveram ligadas. Com o advento da era industrial e tecnológica, tornou-se necessário procurar novas possibilidades de adaptação social. Ocorre que, muitas vezes, essa adequação não se mostrou a mais indicada, pois, por fazermos parte de uma sociedade neoliberal, os interesses estão voltados para a preservação e multiplicação do capital. A infância sofre diretamente essa influência, uma vez que a educação das crianças é o objetivo principal da escola, que, por sua vez, é um dos alvos da sociedade capitalista. Ela produz e reproduz os meios necessários para a perpetuação mercantil. A criança perde seu espaço do brincar inocente e passa a participar ativamente desse meio econômico. Muitas vezes é discriminada e excluída, por não ter as condições necessárias para participar das atividades exigidas, ou por lhe serem negadas as condições ideais para que supere suas dificuldades quando atingir a idade “adequada” para ser definitivamente integrada à vida adulta. Vencer as barreiras impostas pela sociedade capitalista é o principal desafio que o ser humano encontra. Muitas vezes é privado de seus direitos e constantemente lembrado de seus deveres. Sem condições básicas, luta incansavelmente por sua sobrevivência e bravamente se mantém alerta, pois quando houver oportunidade encontrará o caminho que o levará a mudar sua condição de dominado para um ser liberto das amarras neoliberais.

Texto completo:

PDF


Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR