MÉTODOS AUTOMATIZADOS DE DIAGNÓSTICO DE MASTITE EM VACAS LEITEIRAS: UMA REVISÃO

Eduardo Mitke Brandão Reis, Marcos Aurélio Lopes

Resumo


A mastite é a infecção mais frequente dos animais destinados à produção de leite e que mais onera a pecuária leiteira. As perdas econômicas são causadas por diversos fatores: medicamentos, morte ou descarte precoce de animais, bem como em laticínios, pela queda na qualidade do produto final. Rotineiramente, quando se pretende verificar a incidência de mastite em vacas leiteiras utilizam-se os métodos convencionais e subjetivos, como a caneca telada e o California Mastitis Test. A automação na pecuária leiteira é uma inovação tecnológica que visa a minimizar os erros de manejo e otimizar os processos dentro da atividade, dentre os quais o diagnóstico precoce de casos subclínicos de mastite. O uso de sensores que utilizam parâmetros objetivos de mensuração tais como: condutividade elétrica, contagem de células somáticas, presença da enzima lactato desidrogenase, mensuração da cor e a homogeneidade podem ser a alternativa para detecção rápida e precisa de mastite em bovinos, especialmente quando se trata de sistemas automatizados, pois o diagnóstico precoce minimiza as perdas econômicas. Diante do exposto, objetivou-se realizar uma revisão bibliográfica sobre os métodos automatizados de detecção de mastite existentes atualmente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v17i3.2014.4945