ELETROQUIMIOTERAPIA COMO TRATAMENTO DE CARCINOMA ESPINOCELULAR EM FELINO: RELATO DE CASO

Katyani Scheffer Spelfer, Camila Neri Barra

Resumo


O carcinoma de células escamosas (CCE) é uma neoplasia maligna resultante da diferenciação de ceratinócitos, que acomete principalmente animais de pelagem clara e pouco pigmentados, decorrente da exposição à radiação ultravioleta. Apresentam evolução lenta e baixo caráter metastático, porém, em alguns mais avançados pode ocorrer acometimento metastático de órgãos adjacentes. Os tratamentos utilizados no CCE incluem cirurgia, radioterapia, quimioterapia, crioterapia e eletroquimioterapia (EQT). A eletroquimioterapia se mostra bastante eficaz no tratamento desse tumor, dentre outros e comumente não apresenta efeito colateral. O presente trabalho tem como objetivo relatar o caso de um felino atendido na Clinica Veterinária Bichos S.A. no município de Foz do Iguaçu, diagnosticado com Carcinoma de Células Escamosas e portador do vírus da imunodefiência felina (FIV). O tratamento adotado para a neoplasia foi a eletroquimioterapia, resultando em remissão parcial das lesões, após vinte dias da EQT. Com objetivo de investigar possível acometimento ósseo, foi realizada radiografia de face, onde a mesma apresentou área de lise óssea em arco zigomático e maxila esquerda, indicativo de infiltração neoplásica. A radiografia torácica apontou presença de área nodular sobrepondo lobo pulmonar caudal direito, indicativo de processo metastático. Em virtude do prognóstico reservado, os tutores optaram pela eutanásia do mesmo.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v23i2cont.2020.7095