DESEMPENHO E CARACTERÍSTICAS DE CARCAÇAS DE FÊMEAS SUÍNAS ALIMENTADAS COM FARELO DE ALGODÃO

Cristina Lucia Michaello Macêdo do Nascimento, Wilson Moreira Dutra Júnior, Carlos Boa Viagem Rabello, Maria do Carmo Mohaupt Marques Ludke, Guilherme Rodrigues Nascimento, Liliane Olímpio Palhares

Resumo


Objetivou-se avaliar os parâmetros de desempenho, características de carcaças e viabilidade econômica em fêmeas suínas alimentadas com diferentes níveis de inclusão do farelo de algodão (FA) nas rações. Foram utilizadas 24 fêmeas suínas, com peso vivo médio de 48,20 kg ± 5,44 (fase de crescimento) e de 87,62 ± 6,72 kg (fase de terminação). O delineamento foi em blocos casualizados, com quatro tratamentos (0%, 10%, 20% e 30% de inclusão de farelo de algodão), seis repetições, um animal por unidade experimental. Na fase de crescimento os parâmetros de desempenho não foram influenciados significativamente, na fase de terminação e total houve uma redução do ganho de peso e consumo de ração. Para as características de carcaça os animais apresentaram redução na espessura de toucinho, e um aumento na área de olho de lombo até o nível de 13,5% de inclusão de FA. Quanto ao peso dos órgãos houve um aumento do peso do coração, fígado e rins. Conclui-se que é possível incluir o FA até o nível de 30%, sem afetar as características de desempenho na fase de crescimento, e de até 13,5% sem comprometer o rendimento de carcaças.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v23i1%20cont..2020.7194