MORFOMETRIA DE CLADÓDIOS DE Opuntia stricta SOB LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO E ADUBAÇÃO ORGÂNICA NO SEMIÁRIDO PARAIBANO

Geovane Domingos Azevedo Melo, Mateus Costa Batista, João Paulo de Oliveira Santos, José Luiz Carneiro da Silva, Paulo Henrique de Almeida Cartaxo, Kennedy Santos Gonzaga, Daniel Duarte Pereira

Resumo


A Palma Forrageira é uma lavoura xerófila de grande importância para a manutenção da pecuária nordestina durante os períodos de estiagem, no entanto, diante da necessidade da recuperação dos palmais destruídos pela cochonilha do carmim, torna-se necessário conhecer os efeitos das práticas de manejo sobre as novas variedades introduzidas. Nesse sentido, este trabalho objetivou avaliar o efeito de diferentes lâminas de irrigação e fontes de adubação orgânica sobre os atributos morfométricos de cladódios da palma forrageira Orelha de Elefante Mexicana (Opuntia stricta [Haw.] Haw.) cultivada em ambiente Semiárido. O experimento foi conduzido na Fazenda Riachão, Boa Vista, Paraíba. A área de plantio utilizada estava no segundo ciclo depois de dois anos de implantação. Utilizou-se dois tipos de esterco, bovino e caprino e a testemunha, associados com a ausência de irrigação e cinco lâminas diferentes, que variaram de 1,5 a 5,5 L de água por semana por planta. Utilizou-se um fatorial duplo 3 x 6 (tipos de adubação; lâminas) em delineamento em blocos casualizados, com cinco repetições. Ao fim de três meses foram mensurados a área do cladódio, índice de área de cladódio e volume de cladódios total. Observou-se efeito significativo a 1% de probabilidade, pelo Teste F, da lâmina de irrigação sob todos os parâmetros analisados, sendo a lâmina de 5,5 L/semana a que propiciou os melhores resultados para a maioria dos parâmetros trabalhados. Os tipos de esterco isoladamente não diferiram estatisticamente entre si, no entanto, o esterco caprino associado com a irrigação se sobressaiu sobre o esterco bovino.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v22i4.2019.7553