O AUGE DA MPB – 1958-1972

Fernando da Conceição Brarradas

Resumo


Os anos sessenta marcam o auge da MPB. Os maiores cancionistas de nosso populário estão situados neste período. Tom Jobim, Chico Buarque, Vinícius de Moraes, João Gilberto, dentre outros, notáveis instrumentistas, arranjadores, cantores, compositores que se projetaram mundialmente situam-se neste período, denominado Era dos Festivais. Roberto Carlos, com o movimento jovem guarda, teve a primazia de ser o primeiro a produzir música para a juventude. A tropicália revelou cancionistas competentes tanto para compor quanto para cantar, casos de Gilberto Gil e Caetano Veloso. No bojo da renovação mais virtuosa do cancioneiro popular do Brasil o nacional e o estrangeiro se fundem por dar origem ao rock brazuca, o soul, o brega romântico, o sambalanço, em contraste com a tradição. Gêneros musicais de raiz como o samba tradicional, o baião e chorinho refluíram nos anos sessenta. Difícil explicar até mesmo para os especialistas, uma renovação tão virtuosa e célere. Desse modo, no presente estudo investiga-se este período como contribuição acadêmica, aos raros estudos na área.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akrópolis.v19i1.3476