A IMPORTÂNCIA DO OUTRO PARA A CONSCIÊNCIA DE SI: O PAPEL DO PSICOTERAPEUTA

Ivania Cristina Beleti, Ubiraci Silva Botelho Pauliv, Sylvia Mara Pires de Freitas

Resumo


O presente artigo busca realizar uma reflexão sobre a importância do papel do psicoterapeuta enquanto o Outro na psicoterapia existencialista. O reconhecimento de si passa antes pelo olhar do Outro, haja vista que o homem só se apropria de seu Ser a partir do olhar daquele que não é ele. Neste artigo, pontua-se o lugar do psicoterapeuta enquanto o Outro capaz de facilitar a conscientização do cliente de seu Projeto de Ser. Esta proposta de reflexão advém das discussões nas orientações e práticas de estágio supervisionado em atendimento psicoterápico a adultos e pessoas de terceira idade, vivenciadas no ano de 2010, quando da realização da disciplina de Estágio Supervisionado Específico I, no 4º ano do curso de Psicologia da Universidade Paranaense (Unipar), campus Umuarama, Paraná/Brasil, as quais nos instigaram um aprofundamento na reflexão da relação Eu - Outro dentro do espaço psicoterapêutico, a partir da importância da figura do psicoterapeuta. No entanto, concluímos também, que, mesmo tendo sua grande importância nesse contexto, o psicoterapeuta não é o único capaz de ajudar o cliente a obter a consciência reflexiva sobre as escolhas que faz de si, mas por meio desta relação específica, também se pode auxiliar o cliente a reconhecer-se por intermédio do olhar de outras pessoas com que, interage em seu cotidiano. Mas, para tal feito, deve-se admitir a alteridade, ao reconhecer as diferenças e diversidades entre si [cliente] e os outros, bem como a interdependência de suas relações. Assim, poderá ampliar o contexto que propicia a conscientização de sua síntese enquanto existente.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akrópolis.v19i2.3960