ANÁLISE DO DISCURSO DE D. PEDRO II NAS FALAS DO TRONO (1840-1869)

Cristiane de Moraes da Silva

Resumo


Objetiva-se, neste artigo, realizar uma análise discursiva das Falas do Trono, procurando identificar por meio da formação discursiva, de D. Pedro II, evidências do pensamento político e ideológico do sujeito. Assim, pretende-se identificar no discurso do imperador ocorrências que sinalizem a subjetividade de seus pensamentos ou de um grupo social, verificando se suas ideias tendem a serem conservadoras ou liberais, bem como avaliar a cenografia e sua influência na construção do ethos. O estudo que ora se apresenta tem como fundamentação teórica a Análise de Discurso, segundo a linha francesa, com base, nos postulados de Orlandi (2001), Brandão (2004), Maingueneau (2005) e Amossy (2005). O resultado dessa análise torna-se bastante relevante para entendermos como a cenografia contribuiu para legitimar um enunciado, configurando-se como um elemento ativo e essencial no processo de construção da imagem de D. Pedro II no discurso, bem como para entender o pensamento político-ideológico do referido contexto histórico. A pesquisa revelou nas Falas do Trono, a recorrência à argumentos que o Brasil só seria próspero se apoiasse o sistema monárquico e se a moderação imperasse na resolução de conflitos políticos. Desse modo, D. Pedro II, explorou a sua imagem como imperador-cidadão, como sinônimo de civilização, integridade territorial e estabilidade institucional, com capacidade de conciliar aspectos liberais quanto conservadores.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akropolis.v29i1.7000

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR