VIOLÊNCIA INTRAFAMILIAR E O DESENVOLVIMENTO DO TRANSTORNO DE ESTRESSE PÓS-TRAUMÁTICO EM CRIANÇAS E ADOLESCENTES: UMA VISÃO ANALÍTICO-COMPORTAMENTAL

Nathalia Cardoso, Adrielly Aparecida Garcias

Resumo


A presente pesquisa, descritiva e de caráter exploratório, teve por intuito evidenciar a relação entre a violência intrafamiliar e o desenvolvimento do Transtorno de Estresse Pós-Traumático em crianças e adolescentes, fundamentando-se na abordagem analítico-comportamental. Para isso, foram analisados os conceitos de estilos parentais, práticas parentais, coerção e suas implicações, e o conceito de trauma, enquanto uma possível consequência das contingências aversivas que permeiam o contexto em que a criança e o adolescente estão inseridos. Verificou-se que alguns dos eventos violentos intrafamiliares que podem estar relacionados ao desenvolvimento do TEPT são violência física, psicológica, sexual, negligência, não somente direcionados à criança e o adolescente, mas também ao conflito entre pais, à separação e ao abandono. Verificou-se também que, por meio da realização de uma análise funcional do caso e do manejo das variáveis relacionadas ao trauma, a Análise do Comportamento pode trazer grandes contribuições na diminuição dos sintomas. Para complementar, foram abordadas determinadas propostas para se trabalhar com esta demanda no contexto clínico comportamental, como o uso da Dessenssibilização Sistemática, Ludoterapia e Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT), que contribuem para aquisição de repertórios que capacite a criança e o adolescente a enfrentar a situação aversiva através do desenvolvimento de novas habilidades.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akropolis.v28i1.7135