ANÁLISE RELACIONAL DE MULHERES EM SITUAÇÃO DE VIOLÊNCIA CONJUGAL

Ana Paula Tomio Greca, Gilberto Gnoato

Resumo


Esta pesquisa teve como proposta destacar as contingências que levam a mulher a permanecer por longos períodos de tempo em relacionamentos violentos. O estudo caracterizou-se como pesquisa aplicada e uma vasta revisão bibliográfica foi realizada. A dinâmica da violência foi analisada sob a perspectiva relacional de gênero e, por meio da caracterização histórica do feminismo, a compreensão que  concebe a violência como unilateral foi problematizada. Compreende-se que a violência não pode ser vista como uma ação individual, desarticulada do contexto macrossocial. Os sujeitos são dados na fusão histórica cultural do machismo, da sexualidade e do amor e comportam-se a partir destes dispositivos discursivos que perduram na história do ocidente e regulam as práticas sociais. O que rege as relações entre os sujeitos são os procedimentos de poder que condicionam a realizar o que diz o discurso. Portanto, as relações de poder são estabelecidas por meio de discursos e conclui-se que um grande contingente das correlações de forças encontram-se no campo das relações entre homens e mulheres.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akropolis.v28i2.7660