EDUCAÇÃO SEXUAL EM ADOLESCENTES COM DEFICIÊNCIA

Autores

  • Mayara Nunes Almeida Universidade Paranaense
  • Tiago Giacomelli Zanon Universidade Paranaense
  • Matheus Augusto Ciquelero Universidade Paranaense
  • Jeniffer Campos de Camargo Universidade Paranaense

DOI:

https://doi.org/10.25110/akropolis.v31i2.015

Palavras-chave:

Psicologia histórico-cultural, Educação sexual, Defectologia, Adolescentes com deficiência, Educação especial

Resumo

longo da história, as pessoas com deficiência foram subjugadas e excluídas da sociedade. Elas eram consideradas inúteis, condenadas à morte e incapazes de compreender sobre seu próprio corpo e sua sexualidade. Assim, este artigo tem como objetivo investigar a educação sexual de adolescentes com deficiência. A pesquisa foi realizada com base na teoria histórico-cultural, utilizando-se de levantamento bibliográfico e da compreensão dos problemas enfrentados pelos sujeitos com necessidades especiais. Os resultados da pesquisa mostraram que a educação sexual de adolescentes com deficiência é geralmente negligenciada. Isso ocorre por falta de informação, preconceito e negação da sexualidade desses indivíduos. O artigo conclui que a educação sexual tanto dos indivíduos com quanto dos indivíduos sem deficiência deve ser abordada de forma inclusiva, considerando os aspectos biológicos, socioculturais e psicológicos.

Referências

ALVES, P. G. B. Teoria Histórico-cultural: Contribuições para a organização do ensino. Dia a Dia Educação, Maringá. Disponível em: http://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/pde/arquivos/2183-8.pdf. Acesso em: 10 de set. de 2021.

ANJOS, R. E. O Desenvolvimento da Personalidade na Adolescência e a Educação Escolar: Aportes teóricos da psicologia histórico-cultural e da pedagogia histórico-crítica. Tese de Doutorado (Doutorado em Educação Escolar) - Faculdade de Ciências e Letras - Universidade Estadual Paulista. São Paulo, p. 197. 2017.

ARCARI, C. Direitos Sexuais são Direitos Humanos: Coletânea de Textos - Caderno Temático Nº 3. In: Educação Sexual como prevenção da Violência Sexual. Org: Karina Aparecida Figueiredo, 1. ed. Brasília - DF. p. 23-27. 2017.

ASINELLI-LUZ, A.; MORALES, C.; MANIKOWSKI, T. S. Educação sexual: perfil e prática de educadores/as. In: Mostra Saúde e Prevenção nas Escolas. 2. Brasília: UnB, 2007.

Associação Brasileira Multiprofissional de Proteção à Infância e à Adolescência - ABRAPIA. Abuso sexual: mitos e realidade (3a ed.). Petrópolis, RJ: Autores & Agentes Associados. 2002.

BAQUERO, R. Vygotsky e a aprendizagem escolar. Tradução: Ernani F. da Fonseca Rosa. Porto Alegre: Artes Médicas, 1998.

BARROCO, S; M; S; A Educação Especial Do Novo Homem Sovietico e a Psicologia De L. S. Vigotski: Implicações e Contribuições Para a Psicologia e a Educação Atuais; Tese apresentada ao Programa de pós-Graduação em Educação Escolar da Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho - Campus de Araraquara, para obtenção do título de doutora, Araraquara. 2007.

BÍBLIA SAGRADA. São Paulo: Ave Maria, 1995.

BRASIL, Ministério da Educação e do Desporto. Diretrizes para uma Política Educacional em Sexualidade. Secretaria de Projetos Educacionais Especiais-Brasília: MEC/SEPESPE, 1994.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Especial. Série Amarela, Projeto Escola Viva, Visão Histórica, Brasília 2000.

______. Secretaria de Educação Especial. Marcos Políticos-Legais da Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva. Brasília, DF: MEC/SEESP, 2010b.

BUENO, S. J. G. Educação especial brasileira: integração/segregação do aluno diferente. São Paulo: EDUC, 1993.

CARMO, A. L. B. W. do. Pessoas Com Deficiência e Violências: Reflexões Para Profissionais Da Saúde. Monografia (Bacharel em Fisioterapia) - Universidade Federal do Paraná, Matinhos, 2015. Disponível em: https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/42064/Ana%20Luiza%20Boldrini%20Werneck%20do%20Carmo.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 12 set. 2021.

CARVALHO, A. R.; ROCHA, J. V.; SILVA, V. L. R. R. Pessoa com deficiência: aspectos teóricos e práticos. Francisco Beltrão: UNIOESTE. 2006. Disponível em: https://www.unioeste.br/portal/arquivos/proex/pee/pes_com_defi_asp_teo_e_prat.pdf. Acesso em: 01 ago. 2021.

CENCI, A.; A Retomada Da Defectologia na Compreensão da Teoria Histórico-Cultural de Vygotski. 37 Reunião Nacional da ANPED- 04 A 08 de outubro de 2015, UFSC- Florianópolis.

COELHO, L.; PISONI, S.; Vygotski e a Influência na Educação. Revista e-Ped-FACOS/CNEC, Osório Vol.2 N 1- AGO/2012- ISSN 2237-7077.

COLOMBO, I. M.; DENARI, F. E. Educação Sexual Inclusiva em Escolas Regulares. Anais do Seminário Nacional de Educação Especial e do Seminário Capixaba de Educação Inclusiva, vol 3, n 3, p. 1-9, Fev, 2021.

DECLARAÇÃO DE SALAMANCA: Sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca – Espanha, 1994.

FACCI, M. G. D. A Periodização do Desenvolvimento Psicológico Individual na Perspectiva de Leontiev, Elkonin e Vigotski Cad. Cedes, Campinas, vol. 24, n. 62, p. 64-81, abril 2004.

FIGUEIRÓ, M. N. D. Formação de Educadores Sexuais: adiar não é mais possível. – Campinas, SP: Mercado de Letras; Londrina, PR: Eduel. (Coleção Dimensões da Sexualidade), 2006

FONTANA, R.; CRUZ, M. N. Psicologia e trabalho pedagógico. São Paulo: Atual, 1998.

GARCIA, G. Acidentes do trabalho, doenças ocupacionais e o nexo técnico epidemiológico. 5. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013.

CONGRESSO INTERNACIONAL SOCIEDADE INCLUSIVA. Declaração Internacional de Montreal sobre Inclusão. Montreal, 2001.

HERMAKOVA, A. F.; RÁTNIKOV B. V. Que são as classes e a luta de classes? Moscovo: Edições Progresso, 1986.

KASSAR, M. C. M.; REBELO, A. S. O “especial” na educação, o atendimento especializado e a educação especial. In: JESUS, D. M.; BAPTISTA, C. R.; CAIADO, K. R. (Orgs.). Prática pedagógica na educação especial: multiplicidades do atendimento educacional especializado. Araraquara: Junqueira & Marin, 2013. p. 21-42.

LAZARETTI, M. L. Daniil Borisovich Elkonin: Um estudo das idéias de um ilustre (des) conhecido no Brasil. Dissertação de Mestrado (Mestrado em Psicologia) - Faculdade de Ciências e Letras de Assis, Universidade de São Paulo. São Paulo, p. 252. 2008.

LEONTIEV, A. O desenvolvimento do psiquismo. Lisboa: Horizonte, 1978.

MARQUES, L. P.; ROMUALDO, A. dos S. Paulo Freire e a Educação Inclusiva. Revista Unifreire, ano 2, 2 ed., dez. 2014. Disponível em: http://www.paulofreire.org/images/pdfs/revista_unifreire_2.pdf. Acesso em: 12 set. 2021.

MARX, K; ENGELS, F. A ideologia Alemã. [Introdução de Jacob Gorender]. Tradução: Luis Claudio de Castro e Costa. São Paulo: Martins Fontes, 1998

MAZZOTTA, M. J. S. Inclusão escolar e educação especial: das diretrizes à realidade das escolas. In: MENDES, E. G.; ALMEIDA, M. A. (Orgs.). Das margens ao centro: perspectivas para as políticas e práticas educacionais no contexto da educação especial inclusiva. Araraquara: Junqueira & Marin, 2010. p. 79-87.

ONU. Organização das Nações Unidas. Declaração Universal dos Direitos Humanos. Adotada e proclamada pela Resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas, em 10 de dezembro de 1948. 1948. Disponível em: https://www.unicef.org/brazil/declaracao-universal-dos-direitos-humanos. Acesso em: 05 set. 2021.

OEA. Organização dos Estados Americanos. Convenção interamericana para a eliminação de todas as formas de discriminação contra as pessoas portadoras de deficiência. Guatemala, 1999. Disponível em: http://www.oas.org/juridico/portuguese/treaties/A-65.htm. Acesso em: 05 set. 2021

PESSOTTI, I. Deficiência mental: da superstição à ciência. São Paulo: EDUSP / Queiroz, 1984.

REGO, T. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação. 6. ed. Petrópolis/ RJ: Vozes, p. 70-79; 92-95; 102-118, 1995.

RIBEIRO, H. C. de F. Sexualidade e os Portadores de Deficiência Mental. Revista Brasileira de Educação Especial, Marília, v. 7, n. 2, p. 11-27, 2001.

RIOS, C. F. M.; ROSSLER, J. H. Perspectivas en Psicologia. In: Atividade principal e periodização do desenvolvimento psíquico: contribuições da psicologia histórico-cultural para os processos educacionais. Vol. 14 - Nº 2 - Diciembre 2017 - p. 30-41.

SILVA, Otto Marques da. A Epopéia Ignorada: a pessoa deficiente na história do mundo de ontem e de hoje. São Paulo: Ed. CEDAS, 1986

SILVA, G. F.; MENEZES, D. E.; OLIVEIRA, A. D. Um estudo sobre a Defectologia na Perspectiva Vigotskiana: a Aprendizagem do Deficiente Intelectual em Reflexão. Educere, Curitiba, 2013.

SILVA, O. M. D. A Epopéia Ignorada: a pessoa deficiente na história do mundo de ontem e de hoje. São Paulo: Ed. CEDAS, 1986.

SFORNI, M. S. F. Aprendizagem conceitual e organização do ensino: contribuições da teoria da atividade. Araraquara – SP: J M, 2004

UNESCO. Declaração mundial sobre educação para todos e plano de ação para satisfazer as necessidades básicas de aprendizagem. Jomtien, Tailândia: UNESCO, 1990.

UNESCO. Declaração de Salamanca: sobre princípios, políticas e práticas na área das necessidades educativas especiais. Salamanca, 1994. Disponível em: http//portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/salamanca.pdf>. Acesso em: 10 ago. 2021.

VIGOTSKI, L. S. Fundamentos de Defectologia. In: Obras completas. Tomo V. Havana: Editorial Pueblo y Educación, 1997.

______. A construção do pensamento e da linguagem (2a ed.). São Paulo: Martins Fontes (Trabalho original publicado em 1934), 2009.

______. Sobre os sistemas psicológicos. In: Teoria e método em psicologia. 3. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

______; Obras Completas-Tomo V; Fundamentos Da Defectologia; Tradução do Programa de Ações Relativas às Pessoas com Necessidades Especiais (PEE); revisão da tradução por Guillermo Arias Beatón.- Cascavel, PR: EDUNIOESTE, 2019.

______. A construção do pensamento e da linguagem. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

______. Obras Completas – Tomo cinco. Tradução do russo para o espanhol: Lic. Ma. Del Carmen Ponce Frenández. Havana: Ed. Pueblo y Educación, 1997.

VIGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

______. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

______. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.

______. Pensamento e linguagem. 3.ed. São Paulo: M. Fontes, 1991.

VIGOTSKY, L. S.; COLE, M. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998.

VIGOTSKI, L. S; LURIA, A.; LEONTIEV, A. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 1998.

Downloads

Publicado

2023-12-12

Como Citar

Nunes Almeida, M., Giacomelli Zanon, T., Augusto Ciquelero, M., & Campos de Camargo, J. (2023). EDUCAÇÃO SEXUAL EM ADOLESCENTES COM DEFICIÊNCIA. Akrópolis - Revista De Ciências Humanas Da UNIPAR, 31(2), 255–277. https://doi.org/10.25110/akropolis.v31i2.015

Edição

Seção

Artigos