USO DA SOMATOTROPINA BOVINA RECOMBINANTE (BSTr) EM VACAS MESTIÇAS: UMA REVISÃO

Coralline Barbosa Silva, José Reinaldo Mendes Ruas

Resumo


A maioria dos estudos sobre o uso da somatotropina bovina recombinante (rbST) foram conduzidos em países de clima temperado utilizando animais de genética Bos taurus e todo o protocolo de utilização foi pautado para tais animais e extrapolados aos mestiços (Bos taurus x Bos indicus) em ambientes tropicais. No entanto, existem características diferenciadas da curva de produção de leite e alguns aspectos fisiológicos que diferem os mestiços dos taurinos, sendo assim, estabelecer padrões específicos para uso do rbST para vacas mestiças podem melhorar a eficiência, reduzir custos e expandir o uso da tecnologia para os sistemas brasileiros. Estabelecer ajuste da dosagem, o intervalo, o melhor tempo para início e término da aplicação, avaliar o melhor retorno financeiro do uso para o sistema produtivo assim como as respostas produtivas e reprodutivas das vacas pode trazer adequação do uso da tecnologia no sistema de produção de gado mestiço leiteiro. O objetivo da revisão é identificar critérios a serem considerados para uso do rbST em vacas mestiças a fim de potencializar a estratégia do uso do mesmo. O rbST promove notório aumento da produção de leite e mais detalhes do protocolo de uso do hormônio para vacas mestiças necessita ser avaliado já que algumas características da curva de leite e capacidade produtiva são diferentes para animais cruzados.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v23i2cont.2020.6650