AVALIAÇÃO DA TENDÊNCIA TEMPORAL E DA PREVALÊNCIA DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA E HUMANA DENTRE OS ANOS DE 2010 A 2019 EM MUNICÍPIOS DE MINAS GERAIS – BRASIL

Fabiano Borges PEREIRA, Adriele Laurinda Silva Vieira, Elizaine Aparecida Guimarães Bicalho, Saulo Gonçalves Pereira, Sandra Regina Afonso Cardoso

Resumo


Leishmanioses são causadas por protozoários do gênero Leishmania, parasitos que infectam grande número de mamíferos, incluindo o homem. A Leishmaniose Visceral (LV) é a forma mais severa da doença e invariavelmente leva ao óbito, se não diagnosticada e tratada precocemente. O objetivo desse estudo foi realizar uma análise de natureza documental, descritiva e analítica, de abordagem quantitativa das informações contidas no banco de dados - FUNED/GAL (Fundação Ezequiel Dias/Gerenciador de Ambientes Laboratoriais), da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais. Os dados epidemiológicos que compõe este estudo são registros de casos positivos e negativos da cidade de Patos de Minas-MG e 18 municípios das mesorregiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba, Noroeste de Minas e Norte de Minas. No período compreendido entre janeiro de 2010 e junho de 2019 foi notificado um total de 1170 indivíduos suspeitos de Leishmaniose Visceral Canina e/ou Humana. 304 (25,98%) indivíduos receberam o resultado positivo, enquanto 866 foram negativos, e em alguns casos, inconclusivos. Os dados obtidos no estudo revelaram a tendência temporal crescente e alta prevalência da doença, mostrando que a doença está em expansão na região estudada onde o cão é o principal reservatório doméstico da doença, permanecendo como principal elo de ligação entre o protozoário e o hospedeiro humano.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v24i1cont.2021.8445

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR