Apontamentos Acerca das Organizações Criminosas a Partir de um Estudo Exploratório na Penitenciária Industrial de Guarapuava e Cadeia Pública de Foz do Iguaçu (Paraná)

Salete Polonia Borilli, Pery Francisco Assis Shikida

Resumo


Este trabalho, de natureza exploratória, aborda alguns apontamentos das organizações criminosas, via entrevista face a face, de réus julgados e condenados por crimes econômicos, localizados na Penitenciária Industrial de Guarapuava e Cadeia Pública de Foz do Iguaçu (PR). Como corolário, observou-se que a organização criminosa, assim como uma organização capitalista qualquer, busca reunir os fatores de produção disponíveis para efetuar atividades (neste caso, ilegais) com o escopo de perceber lucros. Embora o surgimento/manutenção desse tipo de organização criminosa esteja vinculado ao fato de que os ganhos esperados superem os riscos, a indução de “amigos” foi o principal motivo que levou os entrevistados a atuarem nesse setor. Não obstante, a relação crime-desemprego não se verificou tão fortemente neste estudo e a associação da criminalidade com o baixo nível de escolaridade foi fortemente constatada. Os fatores que levaram ao insucesso da atividade criminosa foram, mormente, a ação da polícia, descuido (“bobeira”) e informantes secretos (“dedo duro”). Como políticas para diminuir as ações das organizações criminosas foram apontadas: mais oportunidade de trabalho/emprego (com remuneração digna); mais estudos e cursos profissionalizantes (o que amplia a chance por melhores empregos e salários).

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v3i2.1479