EXISTENCIALISMO SARTREANO E A CONTRACULTURA BRASILEIRA: UMA ANÁLISE INTERTEXTUAL DA CANÇÃO ALEGRIA, ALEGRIA

Thaís Serafim dos Santos, Frank Antonio Mezzomo, Cristina Satiê de Oliveira Pátaro

Resumo


Este artigo busca evidenciar as relações entre as ideias do filósofo existencialista Jean Paul Sartre e a letra da canção Alegria, alegria, de Caetano Veloso, considerada um dos símbolos do tropicalismo e do movimento da contracultura no Brasil. Para tanto, a análise coloca em evidência a intertextualidade implícita nos versos da canção, tendo como pressuposto as relações dialógicas que permeiam os processos de produção e compreensão dos textos. Compreende-se que o existencialismo sartreano – que coloca em foco a existência e a liberdade do sujeito, bem como a importância da ação e do projeto de vida – exerceu influências no movimento da contracultura não apenas na França como também no Brasil, servindo de base para as manifestações artísticas de contestação e inovação, que emergiram em meio à vigência do regime militar vigente.

Texto completo:

PDF


Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR