O HORROR ESTÁ LÁ FORA: AS REPRESENTAÇÕES DISCURSIVAS ENVOLVENDO OS IMIGRANTES NO CONTO O HORROR EM RED HOOK (1927), POR H. P. LOVECRAFT

Fausto Alencar Irschlinger, Miguel Allan Drehmer Gonçalves

Resumo


Howard Phillips Lovecraft foi um escritor norte-americano de fantasia e ficção científica, muito conhecido pelo gênero de terror, que viveu no começo do século XX e que, hoje, é bastante influente na cultura popular. Os conceitos filosóficos e narrativos pensados por ele marcam presença em grandes filmes do cinema, em histórias em quadrinhos, na música, em séries de televisão, em desenhos animados e, é claro, na literatura contemporânea. Todavia, Lovecraft também ficou conhecido por ser abertamente intolerante, tendo manifestado seu preconceito racial e sua aparente xenofobia em diversos contos e poemas. Com relação a isso, neste artigo busca-se identificar e analisar quais as representações discursivas que envolveram os imigrantes nos Estados Unidos do começo do século XX, a partir do conto O Horror em Red Hook (1927), de H. P. Lovecraft, procurando estabelecer um paralelo entre a ficção e a realidade. Com esse objetivo, os conceitos de representação, ficção e discurso serão trabalhados a partir de Pesavento e Orlandi; quanto à vida e obra de H. P. Lovecraft, utiliza-se a biografia escrita por Joshi (2014). Apesar de sua grande expressão, a literatura de Lovecraft foi pouco debatida academicamente, sobretudo em trabalhos brasileiros. Isso é surpreendente porque suas histórias, seus conceitos e suas personagens, que apresentam implicações diretas à representatividade étnica, permanecem recorrentes mesmo após quase um século desde as suas origens.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/akropolis.v28i1.7717