Reflexões sobre uma proposta de integração assimétrica - ALCA - Mercosul pela análise de agrupamento

Fátima Maria Pegorini Gimenes, Régio Marcio Toesca Gimenes, Miguel Angel Uribe Opazo

Resumo


O presente trabalho procura identificar o nível de similaridade existente entre blocos econômicos através de uma análise estatística de agrupamento. O modelo utilizou como variáveis quantitativas o produto interno bruto, as reservas internacionais, as exportações, as importações, o saldo da balança comercial, a base monetária, os dispêndios de consumo público, a formação bruta de capital fixo e o resultado orçamentário de cada país (déficit/superávit). Foram alvo do estudo trinta e três nações, de diferentes continentes, agrupadas nos seguintes blocos econômicos: Mercosul, Comunidade Andina, Acordo de Livre Comércio da América do Norte, União Européia, Associação das Nações do Sudeste Asiático, e foi considerado, ainda, um suposto bloco econômico constituído por China e Japão. Na atualidade, o Mercosul desponta como a possibilidade de fortalecer a identidade comum dos países do Cone Sul e, acima de tudo, é um instrumento para a criação de um espaço sul-americano econômico e político integrado. Assim, procura-se evidenciar que uma convivência harmoniosa e uma trajetória de crescimento econômico dinâmico, em um mundo globalizado, dependerá da consolidação do Mercosul e da adoção de estratégias multilateralistas de comércio.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v4i2.1497