Mudanças organizacionais: aprendizagem, inovação e cultura organizacional

Odacir Miguel Tagliapietra, Marcio Nakayama Miura, Lígia Maria Heinzmann

Resumo


O mercado, hoje, exige das organizações mudanças constantes,
tanto em relação à qualidade dos produtos e serviços, quanto aos diferenciais
competitivos. Essa dinâmica é impulsionada pelo incremento de novas
tecnologias na produção e, também, pelo fato de que, no mercado globalizado,
a facilidade das comunicações, o contato com culturas diferentes permitem
que as empresas utilizem-se de exemplos de casos bem sucedidos e, a partir
disso, introduzam novos métodos de trabalho proporcionando, com isso, maior
competitividade aos seus produtos e serviços. A rigidez estrutural da maioria
das organizações dificulta o acesso a novos conceitos e a idéias inovadoras. Por
isso, o estudo da cultura organizacional também é imprescindível para que novos
conceitos e práticas administrativas sejam aceitas por todos na organização,
pois, ca crescente demanda do mercado externo, as organizações necessitam
flexibilizar seu processo produtivo para facilitar a diferenciação dos produtos
demandados pelas diferentes culturas. Também as pessoas precisam aprender
novos conceitos que são decisivos para a negociação com povos de diferentes
nações. O desenvolvimento da cultura da mudança passa pelo desenvolvimento
de programas de aprendizado que permitem que as pessoas internalizem os
novos conceitos e práticas administrativas a partir de sistemas de aprendizado
que privilegiem a adaptação das pessoas, dos produtos e serviços à diversidade
cultural.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v6i1.298