VANTAGEM COMPETITIVA COM A PRÁTICA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL E SUSTENTABILIDADE?

Sandra Stöckli de Vasconcelos1, Miguel Arantes Normanha Filho

Resumo


A motivação para a escolha do tema do artigo deve-se ao fato de que, a despeito de serem temas que já estejam incorporados na pauta de discussão nos mais diversos níveis da sociedade, objetiva-se observar o desconhecimento e mesmo dúvidas sobre o grau das obrigações das empresas com a sociedade. E, também, como fazer medições: das obrigações e ações, de forma que o assunto não fique restrito ao campo da boa intenção e escape ao planejamento, organização, implantação, direção e controle de ações (estratégias efetivas), a partir de indicadores previamente definidos. O objetivo principal para elaboração do artigo foi assim definido: com base na revisão de literatura, verificar se uma empresa alcança a vantagem competitiva com a prática da responsabilidade social e sustentabilidade. Justifica-se a pesquisa para a elaboração do artigo, uma vez que, de forma definitiva, responsabilidade social e sustentabilidade entraram na pauta de discussão da esfera política, nas ações dos empresários e, principalmente, tornou-se um assunto de interesse do cidadão comum. Responsabilidade social e sustentabilidade são temas que suscitam discussões, quer sejam no campo teórico-acadêmico, quer sejam no mundo empresarial, tanto por falta de clarificação dos termos, como também por dificuldades diversas, entre elas, a aplicação prática: dificuldade de ações planejadas e de indicadores confiáveis de resultados. Mas, não se pode esquecer que, ainda, as escolas de administração, gestão e negócios no Brasil não contemplam de forma abrangente responsabilidade social e desenvolvimento sustentável em seus currículos acadêmicos, pois no máximo são disciplinas específicas, mas não trabalhadas de forma sistêmica e focadas no conceito da interdisciplinaridade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v9i1.3255