“CASA DE FERREIRO, ESPETO DE PAU”? PLANEJAMENTO E CONTROLE ORÇAMENTÁRIO NOS ESCRITÓRIOS CONTÁBEIS DO ESTADO DO PARANÁ

João Victor Lucas, Thamires Alves Carvalho, Vinícius Edvin do Nascimento, Henrique Portulhak

Resumo


Considerando uma provável deficiência no processo de planejamento e controle gerencial de pequenas e médias empresas, entende-se que este fenômeno pode ou não envolver as empresas prestadoras de serviços contábeis, já que estas, apesar de majoritariamente pertencerem ao porte de pequenas e médias empresas, se diferenciam por serem geridas por profissionais da área de gestão. Diante dessa inquietação, a investigação teve como objetivo identificar as práticas de planejamento e controle orçamentário adotadas por escritórios contábeis. Pesquisa quantitativa e descritiva, na qual se realizou um levantamento junto a escritórios contábeis do Paraná, resultando na obtenção de 100 respostas entre junho e setembro de 2018, dados analisados estatisticamente com o uso do teste qui-quadrado de Pearson. Dentre os resultados, identificou-se que características como o porte, anos de experiência do gestor, anos de funcionamento do escritório, além da localidade onde está sediado, não estão associadas à existência da prática de planejamento orçamentário nas organizações estudadas. Por outro lado, as análises indicaram que a presença de um planejamento e controle orçamentário possui associação com o nível acadêmico do seu principal gestor. Observou-se que a maior parcela da amostra (66%) utiliza orçamentos, contrariando o que se esperava a partir do referencial teórico; contudo, ao observar que 34% dos escritórios respondentes não utilizam a ferramenta, compreende-se que, sendo tais gestores da área contábil, estes ainda precisam aplicar em seu próprio negócio o que poderia ser ofertado a seus clientes.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v20i2.7518