MOTIVAÇÕES E RISCOS ASSOCIADOS A UM CENTRO DE SERVIÇOS COMPARTILHADOS, TIPOS E MODELOS ORGANIZACIONAIS EXISTENTES, E O CASO DE UMA EMPRESA DE TECNOLOGIA E SERVIÇOS

Monique Ferreira Cavalcante, Marco Antonio Conejero

Resumo


A criação de um Centro de Serviços Compartilhados (CSC) constitui uma estratégia amplamente adotada pelas organizações. O CSC faz parte da cadeia de valor da organização e pode ser definido como a concentração e compartilhamento das atividades de apoio na estrutura organizacional. O objetivo deste trabalho é discutir as motivações e riscos associados a um CSC, as estruturas organizacionais e modelos existentes de CSC na literatura e verificar no estudo de caso analisado o tipo escolhido, com as vantagens e desvantagens apontadas. Para tanto, realizou-se uma pesquisa bibliográfica, o estudo de caso com pesquisa documental, observação participante, entrevistas semiestruturadas, e a triangulação dos dados do estudo de caso com a literatura existente. No caso analisado, dentre os ganhos identificados após a implementação do CSC, estão: redução de custos; agilidade na prestação do serviço; otimização dos processos; padronização e conformidade das atividades. Já em termos de tipos/ modelos de CSC, a empresa A optou por um CSC do tipo intraorganizacional, back office e básico, e o modelo hierárquico baseado em departamento, sendo este vinculado à Gerência de Administração. Essa vinculação gerou problemas relacionados a autonomia que é um dos atributos de um CSC.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/receu.v22i2.8580

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR