AVALIAÇÃO E DIAGNÓSTICO DAS CONDIÇÕES DE COMERCIALIZAÇÃO DE ALIMENTOS NAS FEIRAS LIVRES NO ESTADO DA PARAÍBA

Cácio Ribeiro Cavalcanti, Flávia de Oliveira Paulino, Kalinne Duarte Gonçalves Mayer, Francisca Flávia da Silva, Veruska Dilyanne Silva Gomes, Francisco Glauco de Araújo Santos

Resumo


A comercialização de alimentos em feiras livres, expostos em barracas sem refrigeração e sem proteção pode alterar a qualidade dos alimentos. Alimentos crus e mal conservados podem ser veículos de contaminação por microrganismos causadores de toxinfecção e, dessa forma, colocar em risco a saúde do consumidor. Objetivou-se neste trabalho avaliar e definir um diagnóstico de feiras livres realizadas em quatros municípios paraibanos, localizados na mesorregião do Agreste: Campina Grande, Esperança, Areia e Bananeiras. Utilizou-se como metodologia o estudo analítico, por meio de um roteiro de observação pré-confeccionado, baseado nas recomendações da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. O roteiro de observação do tipo checklist foi dividido em quatro seções: aspectos físicos, aspectos higiênicos, aspectos ambientais e aspectos organizacionais. Os resultados foram bastante insatisfatórios, tendo em vista que nos quatro aspectos de avaliação todos os municípios apresentaram pouquíssima conformidade. Do ponto de vista de saúde pública, as condições higiênicas de comercialização de alimentos mostraram-se precárias, principalmente, porque um grande número de pessoas fazem uso deste tipo de comércio para a aquisição de alimentos nas regiões estudadas. Foi permitido concluir que se faz necessário a implantação de políticas sociais e educacionais direcionadas para as feiras livres no estado da Paraíba.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v17i3.2014.4939