SUSCETIBILIDADE DOS ESTÁGIOS ONTOGENÉTICOS: PADRÃO OSMORREGULATÓRIO EM CAMARÕES PENEÍDEOS E PALEMONÍDEOS

Fabrício Martins Dutra, Sandra Carla Forneck, Eduardo Luis Cupertino Ballester

Resumo


A invasão da água doce por crustáceos ocorreu repetidamente ao longo dos anos, pressionando um ajuste em seus processos fisiológicos. A habilidade de sobreviver aos diferentes ambientes foi encontrada em traços osmorregulatórios, e estão relacionadas à capacidade de regular o fluido extracelular. Portanto, o objetivo deste manuscrito é explorar os processos osmorregulatórios de camarões palemonídeos e peneídeos, visualizando um padrão na capacidade osmorregulatória em ambas as famílias e, em particular, tratar de assuntos pertinentes aos efeito no ciclo ontogenético e o efeito ocasionado pelo nitrito na hemolinfa de crustáceos. Comparando palemonídeos e peneídeos, percebe-se que o sucesso da conquista do ambiente dulcícola, e a não necessidade de hiporregulação, levou à perda dessa capacidade na maioria dos palemonídeos. Dessa forma, se supõem um ancestral com capacidade hiporregulatória, uma vez que invertebrados marinhos são, parcimoniosamente, osmoconformadores. Compara-se também que o nitrito apresenta efeito nas proteínas presentes na hemolinfa dos crustáceos quando submetidos à exposição natural ou induzida deste composto, e que a capacidade osmorregulatória é, portanto, variada de acordo com seus estágios.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqvet.v17i3.2014.4946