UTILIZAÇÃO DO TREINAMENTO NEUROMUSCULAR E PROPRIOCEPTIVO PARA PREVENÇÃO DAS LESÕES DESPORTIVAS

Alberito Rodrigo de Carvalho

Resumo


As lesões musculoesqueléticas apresentam alta prevalência no meio esportivo e, portanto, são necessárias medidas preventivas e, dentre estas, destacam-se os treinamentos proprioceptivo e neuromuscular. Porém, antes da sua aplicação, faz-se necessário buscar evidências sobre sua eficácia e sobre seus mecanismos de ação. Os objetivos desta revisão foram: a) conceituar termos relacionados ao controle neuromuscular e propriocepção; b) buscar evidências a favor do uso do treinamento neuromuscular e proprioceptivo, direcionados aos membros inferiores, como métodos de prevenção de lesões desportivas; e c) descrever os prováveis mecanismos neurofisiológicos envolvidos na adaptação ao treinamento neuromuscular e proprioceptivo. O controle neuromuscular é mais abrangente do que a propriocepção, já que esta última está mais relacionada com informações aferentes, que serão utilizadas pelo sistema nervoso central para produzir o controle motor adequado. Também se observou que há várias evidências que sustentam a implantação de programas de treinamento neuromuscular e proprioceptivo na rotina dos atletas com finalidade preventiva contra as lesões desportivas. Entretanto, os mecanismos pelos quais essas intervenções protegem os atletas das lesões são menos compreendidos.

Texto completo:

Sem título


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v14i3.2010.3670