ANÁLISE DOS NÍVEIS DE IMUNOGLOBULINAS SÉRICAS E MONÓCITOS DE PACIENTES EM TRATAMENTO COM AUTO-HEMOTERAPIA

Adriane Cordeiro Trevisanil, Catchia Hermes-Uliana, Celso Yukimasa Obikawa, Elza Teruko Nishitani, Aparício Luciano Bolonhez, Sandra Mara Alessi Aristides

Resumo


A auto-hemoterapia (AHT) é uma prática de uso clínico crescente, que vem sendo utilizada como tentativa no tratamento de diversos problemas de saúde, tanto em humanos como em animais. Esse estudo teve como objetivo avaliar o efeito da AHT por meio da avaliação dos níveis de imunoglobulinas e de monócitos de pacientes que realizaram pela primeira vez o tratamento. Foi realizada a coleta de sangue antes e após 24 horas da realização da AHT, e também durante nove dias consecutivos em dez participantes, sendo cinco homens e cinco mulheres. Para realização da AHT foi coletado 10 mL de sangue venoso e aplicado no quadrante látero-superior do músculo glúteo máximo. Dos dez participantes analisados nove apresentaram aumento do número de monócitos que variou de 17% a 250%. Observou-se também aumento da Imunoglobulina M em nove dos indivíduos estudados, que variou de 10 a 28%. O aumento da Imunoglobulina G foi demonstrado em todos os participantes e variou de 13 a 36%. Foi observado também aumento de 2,6 a 89% da Imunoglobulina A em nove pacientes e aumento de 2,7 a 88,2% da Imunoglobulina E em oito indivíduos. Conclui-se que a auto-hemoterapia é fator de incremento da imunidade do organismo, pois mostrou aumento do número de monócitos e de imunoglobulinas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v19i2.2015.5430