AVALIAÇÃO DA QUALIDADE MICROBIOLÓGICA DE MAQUIAGENS DE USO COLETIVO

Airyne de Souza Benvenutti, Andressa Veiga, Luciane Silvia Rossa, Fabio Murakami

Resumo


O mercado de cosméticos destaca-se no Brasil por apresentar crescimento mesmo diante da crise econômica. Devido ao constante aumento na utilização desses produtos é necessário avaliar a segurança microbiológica, especialmente para produtos de uso coletivo e, portanto, com maior risco de contaminação. O objetivo do presente trabalho foi avaliar a qualidade microbiológica de amostras de cosméticos para maquiagem, de uso coletivo, da cidade de Curitiba, Paraná. Foram analisadas quinze (15) amostras coletadas durante o período de janeiro a agosto de 2015. As análises microbiológicas foram realizadas segundo o Guia ABC de Microbiologia, objetivando a contagem de microrganismos viáveis totais e a pesquisa de patógenos. Quanto à contagem de microrganismos todas as amostras encontram-se dentro dos limites especificados pela legislação vigente. No entanto, três amostras apresentaram contaminação por microrganismo patogênico Staphylococcus coagulase positiva. Em indivíduos adultos saudáveis a utilização de cosméticos contaminados pode não representar sérios riscos, a menos que o organismo seja um patogênico primário, não sendo o caso do gênero Staphylococcus. Entretanto, pode representar perigo para pessoas com sistema imunológico fragilizado. Sendo assim, os conservantes utilizados para as preparações cosméticas permanecem eficazes mesmo após o seu uso coletivo, não apresentando sérios riscos a indivíduos adultos saudáveis.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i3.2016.5701