CURCUMA LONGA L., O AÇAFRÃO DA TERRA, E SEUS BENEFÍCIOS MEDICINAIS

Juliana Pelissari Marchi, Luana Tedesco, Ailton da Cruz Melo, Andressa Caroline Frasson, Vivian Francielle França, Samantha Wietzikoski Sato, Evellyn Claudia Wietzikoski

Resumo


Plantas medicinais são de grande importância nos estudos para elaboração de fármacos de origem natural. A Curcuma Longa Linn é uma planta pertencente a espécie Zingiberaceae, cujo nome científico é Curcuma longa L. É popularmente conhecida como açafrão, açafrão da terra, gengibre amarela e raiz de sol. Possui aspecto rizomatoso e forte tonalidade amarela. Originária da ásia e cultivada em regiões tropicais e subtropicais, é muito utilizada na culinária e medicina popular. Esta revisão bibliográfica teve por objetivo descrever os principais usos medicinais da Curcuma longa L. É utilizada como tempero, especialmente na região continental da Índia. Sendo consumido principalmente na forma de pó seco, utilizado para coloração alimentícia devido à sua forte coloração amarela, associada aos efeitos terapêuticos e dietéticos Os pigmentos responsáveis por essa coloração forte, pertencem à classe dos diferoluilmetano, representados pela curcumina, se tornando bastante utilizada como corante. Os rizomas da cúrcuma são processados e deles se extraem óleo essencial, curcumina e fécula. Possui diversas atividades farmacológicas, destacando seus principais potenciais terapêuticos, tais como; atividades anti-inflamatória, antiviral, antibactericida, antioxidante, antifúngica, anticarcinogênica, entre outras ações. Estudos indicaram que a curcumina apresenta efeitos neuroprotetores no tratamento da Doença de Alzheimer e de Parkinson, prevenindo a inflamação e o dano oxidativo. A pesquisa permitiu verificar a importância da Curcuma longa L. e seu grande potencial de utilização, contendo, principalmente, efeito anti-inflamatório e provável efeito neuroprotetor com potencial para o desenvolvimento de medicamentos. Diante disso, fazem-se necessários estudos, para avaliar seu potencial como planta medicinal.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i3.2016.5871