ARTE, HONESTIDADE, SACRIFÍCIO. O RAPPA E FOUCAULT CANTANDO DESIGUALDADE SOCIAL

Bárbara Cossettin Costa Beber Brunini

Resumo


A música poderá ser pensada como uma ferramenta pedagógica instigante para se pensar em desigualdade social, dispositivos de poder e mecanismos de resistência. Quando propomos ao acadêmico um diálogo possível entre temáticas sociais, a escrita de Foucault e O Rappa, o interesse se faz arte. Instigados pelo desassossego provocado pelas obras de Michel Foucault e seus atravessamentos em nossa experiência docente, pretendemos utilizar da metodologia genealógica foucaultiana para instigar reflexões pedagógicas diante a problematização das desigualdades socioeconômicas da sociedade brasileira. O refletir por meio da arte, fortalece o pensamento crítico-reflexivo do acadêmico preocupado com uma formação profissional ética e política, estimulando o surgimento de vozes que não se deixam calar diante dos marcadores sociais de desigualdade.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/educere.v15i2.2015.5623