SCIENTIFIC PRODUCTION IN ENVIRONMENTAL LAW: A BIBLIOMETRIC STUDY IN SOUTH AMERICA

Autores

  • Flávio Manoel Coelho Borges Cardoso Universidade de Brasília (UNB)
  • Luciano do Valle Universidade Evangélica de Goiás (UNIEVANGÉLICA)
  • Marcos de Moraes Sousa Universidade Federal de Goiás (UFG)
  • Lívia Aparecida Oliveira de Moraes Sousa Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)

DOI:

https://doi.org/10.25110/rcjs.v26i1.2023-020

Palavras-chave:

Scientometric, Bibliometric, Environmental Law, South America

Resumo

The theme of environmental law has been widely discussed in the world, being a very polemic area of law that can influence a country’s judiciary, economy, and public policies. However, what have researchers studied in this field? How has the research been conducted? These and other questions prompted us to conduct a bibliometric survey of studies on environmental law in South America. Thus, to better understand the theme and contribute to its state of the art, we searched scientific databases (SciELO and Portal Periódicos Capes) of articles on environmental law published in South American countries from 2010 through 2019. The results were tabulated using bibliometric indicators and analyzed using scientometry.  Some of the results related to methodological indicators such as structural methodological flaws were found in the research. Another aspect identified in this study was the consequence of publication only in Portuguese, which makes the internationalization of journals and the knowledge produced in Brazil difficult. This is a quantitative method of data evaluation based on measures related to the publication of scientific papers. In this way, we hope to contribute to the development of future research on environmental law.

Referências

ANTUNES, Paulo de Bessa. Direito ambiental. 12ª ed. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010.

BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. In: VADE mecum Saraiva. São Paulo: Saraiva Educação, 2018, p. 1480-1412.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. São Paulo: Cultrix, 2006.

D’AGOSTINI, Luiz Renato. A insuficiência do conceito de ambiente em meios onde o meio é ambiente. Geosul. Florianópolis v. 17, n. 34, p. 147-154, 2002.

DZIKOWSKI, Piotr. A bibliometric analysis of born global firms. Journal of Business Research, v. 85, p. 281-294, 2018.

EPSTEIN, Lee; KING, Gary. Pesquisa empírica em direito: as regras de inferência. São Paulo: Direito GV, 2013. (Coleção acadêmica livre)

FARIAS, Talden Queiroz. O conceito jurídico de meio ambiente. Âmbito Jurídico. São Paulo, v. 35, n. 01, 2006.

KRZYSCZAK, Fabio Roberto. As diferentes concepções de meio ambiente e suas visões. Revista de Educação do IDEAU. Getúlio Vargas – RS, v. 11, n. 23, p. 1-17, 2016.

LENZA, Pedro. Direito constitucional esquematizado. 23. ed. – São Paulo: Saraiva Educação, 2019. (Coleção esquematizado ®).

LIEBL, Helena; SANTOS, Rafael Padilha dos. Compliance e governança corporativa: estratégias para uma gestão socioambiental. Revistas de Ciências Jurídicas e Sociais da UNIPAR, v. 23, n. 1, 2020.

MANDELLI, Alexandre; CITOLIN, Eduardo Tonin. A incorporação da dimensão ambiental da sustentabilidade no sistema jurídico brasileiro. Revistas de Ciências Jurídicas e Sociais da UNIPAR, v. 15, n. 1, 2012

PEREIRA, Danielle Borges; LOBÃO, Irajayna de Sousa Lage; LUCAS, Elaine Rosangela de Oliveira. Internacionalização de periódicos científicos brasileiros: exigências requeridas. Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, v. 13, p. 2300-2313, 2017.

RAMOS, André Luiz Santa Cruz. Direito empresarial. 7ºed. São Paulo: Método, 2017.

RIBEIRO, Job Antonio Garcia; CAVASSAN, Osmar. Um olhar epistemológico sobre o vocábulo ambiente: algumas contribuições para pensarmos a Ecologia e a Educação Ambiental. Filosofia e História da Biologia, São Paulo, v. 7, n. 2, p. 241-261, 2012.

RODRIGUES, Horácio Wanderlei. Metodologia da pesquisa nos cursos de Direito: uma leitura crítica. In: XIV Congresso Nacional do Conselho Nacional de Pesquisa e Pós-

SAMPAIO, Tadeu Cincurá de A. S. A importância da metodologia da pesquisa para a produção de conhecimento científico nos cursos de pós-graduação: A singularidade textual dos trabalhos científicos jurídicos. Revista do Programa de Pós-Graduação em Direito, v. 23, n. 25, 2013.

SILVA, José Afonso. Direito Ambiental Constitucional. 10ª ed. São Paulo: Malheiros Editores, 2013.

SILVEIRA, Vladmir Oliveira da; SANCHES, Samyra Haydêe dal Farra Naspolini. Periódicos na área do Direito: o desafio da superação da cultura dos livros. RFD-Revista da Faculdade de Direito da UERJ, n. 30, p. 157-172, 2016.

SIRVINSKAS, Luís Paulo. Manual de direito ambiental. 16ª ed. – São Paulo: Saraiva Educação, 2018.

SOUZA, Juliana de Fátima. Educação Superior na América Latina e Caribe: panorama e perspectivas cem anos após a Reforma de Córdoba. Revista Educação e Emancipação, v. 11, n. 3, p. 91-122, 2018.

VASCONCELLOS, Vinicius Gomes de. Editorial–Autoria e coautoria de trabalhos científicos: discussões sobre critérios para legitimação de coautoria e parâmetros de integridade científica. Revista Brasileira de Direito Processual Penal, v. 6, n. 1, p. 13-26, 2020.

WOLKMER, Antonio Carlos. Direitos Humanos: novas dimensões e novas fundamentações. Revista Direito em Debate, v. 11, n. 16-17, 2002.

Downloads

Publicado

2023-08-14

Como Citar

Cardoso, F. M. C. B., do Valle, L., Sousa, M. de M., & Sousa, L. A. O. de M. (2023). SCIENTIFIC PRODUCTION IN ENVIRONMENTAL LAW: A BIBLIOMETRIC STUDY IN SOUTH AMERICA. Revista De Ciências Jurídicas E Sociais Da UNIPAR, 26(1), 417–437. https://doi.org/10.25110/rcjs.v26i1.2023-020

Edição

Seção

Artigos