PROPOSTA DE NOVA METODOLOGIA DE APOIO PARA INDICAÇÃO RACIONAL DE PROFILAXIA ANTIRRÁBICA HUMANA PÓS-EXPOSIÇÃO

Danila Fernanda Rodrigues Frias, Juliana Olivência Ramalho Nunes, Adolorata Aparecida Bianco Carvalho

Resumo


A avaliação dos casos de agressão por animais, sem critérios bem definidos, podem levar à indicação equivocada de tratamento antirrábico pós-exposição. O presente trabalho propõe uma nova metodologia de ação no auxilio da instituição de profilaxia antirrábica humana. Foi elaborada e aplicada a ficha de atendimento antirrábico humano, ficha referência de atendimento a agressão animal e ficha de visita zoossanitária; e análise da profilaxia prescrita. Dentre as vítimas, 47,9% declararam o animal vacinado, 55% ataque provocado e 73,3% agressão na residência; em 49,3% a conduta médica indicada foi aplicação de vacina e observação do animal, e ocorreram 15 subnotificações. Dentre os animais agressores, 78,1% eram domiciliados e 84,4% estavam sadios. Foram utilizadas 161 doses de vacina e apenas 25 eram necessárias. Adequações na ficha de atendimento antirrábico humano, aplicação das fichas referência de atendimento a agressão animal e de visita zoossanitária devem ser feitas para dar subsídios e segurança ao médico responsável no momento da instituição da profilaxia antirrábica pós-exposição.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.25110/arqsaude.v20i1.2016.4955

Esse periódico está licenciado sob uma Licença Creative Commons CC BY 4.0

https://creativecommons.org/licenses/by/4.0/deed.pt_BR